Alhos Temperados em Conserva 150g Hemmer

Ingredientes

Alho, óleo de girassol, açúcar, sal, cebola, orégano e manjericão. NÃO CONTÉM GLÚTEN.



Produto prático que pode ser consumido puro, como aperitivo, regado apenas com azeite extravirgem ou como ingrediente de saladas e de pratos tão saborosos quanto sofisticados. A receita do Alho em Conserva Hemmer contém cebola, orégano e manjericão, apenas a quantidade certa de tempero para realçar o sabor do alho, sem permitir que ele se torne insuportável. Os nossos dentes de alho descascados são isentos de glúten.

Porção de 50g ( 1/3 xícara de chá )

  Quantidade por porção % VD (*)
Valor energético 63 kcal = 560 kJ 3%
Carboidratos 2,8 g 1%
Proteínas 1,5 g 2%
Gorduras totais 5,1 g 9%
Gorduras saturadas 0,5 g 2%
Fibra alimentar 2,3 g 9%
Sódio 945 mg 39%

"Não contém quantidade significativa de gorduras trans".

* % Valores diários com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8400 kJ. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas. ** Valores diários não estabelecidos.

Desde a Antiguidade o alho é usado na alimentação e no tratamento de doenças. Hoje é reconhecido por suas propriedades terapêuticas a favor da saúde.

Ninguém sabe ao certo quem foram os primeiros povos a consumir alho ou usá-lo com fins medicinais. Sua origem data entre 4 e 6 mil anos atrás, em local que varia entre o continente asiático e a Europa mediterrânea.

“Julga-se que o alimento surgiu no deserto da Sibéria e tenha sido levado para o Egito por tribos asiáticas nômades. Dali teria seguido para o extremo oriente por meio do comércio com as Índias e, então, chegado à Europa”, afirma Rafael Cursino, presidente da Associação Nacional dos Produtores de Alho (Anapa). De qualquer maneira, desde cedo suas propriedades foram mais do que reconhecidas. Recentemente foi descoberto um papiro egípcio de cerca de 1.500 a.C., em que o alho é indicado para o tratamento de mais de 20 doenças. Nessa época, entretanto, e até fins da Idade Média, em 1453, as lendas que cercam o alho eram as mais presentes.

“Tutankamon, um jovem faraó, foi enterrado com seis dentes de alho”, diz Rafael. Acredita-se que isso o ajudaria na passagem pra a vida após a morte. Em cemitérios pré-históricos também foram descobertos bulbos de alho moldados em argila, que tinham como função afastar os maus espíritos. Esse uso continuou por muito tempo, tendo acrescentado na Idade Média a função de agir como repelente contra mosquitos quando colocado na porta de casa.


Fique por dentro das novidades