Chucrute Sauerkraut - 450g

Ingredientes

Repolho, sal e conservador INS 211. NÃO CONTÉM GLÚTEN.



Quem conhece a culinária de origem germânica sabe que o chucrute (sauerkraut) é ingrediente de vários pratos típicos. Acompanha Einsbein (joelho de porco), kassler (carré), costelas de porco defumadas, marreco assado. Há a simplicidade do chucrute com salsicha, ou com salsicha tipo bock. Em qualquer das combinações é saboroso e nutritivo. O chucrute também pode ser utilizado como tempero em cachorro-quente, incrementado com mostarda. E pode ter o sabor acentuado acrescentando-lhe bacon frito, fica uma delícia.

Porção de 15g ( 1 colher de sopa )

  Quantidade por porção % VD (*)
Sódio 105 mg 4%

"Não contém quantidade significativa de valor energético, proteínas, carboidratos, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans e fibra alimentar".

* % Valores diários com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8400 kJ. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas. ** Valores diários não estabelecidos.

Código do Produto: 10630
Código de Barras EAN 13: 789.103110630.3
Validade: 12 meses, a partir da data de fabricação desde que mantido em condições normais de estocagem. 
Embalagem: Vidro.
Quantidade em Caixa: 15 unidades.
Código de Barras DUN 14: 17891031106300
Peso Líquido: 550 g
Peso Drenado: 450 g
Peso Bruto: 855 g
Após aberto: Manter sob-refrigeração (2° a 7°C) e consumir em até 5 dias.

Chucrute é repolho fermentado naturalmente, com condimentos, muito saudável. Tão conveniente à saúde quanto agradável ao paladar quando agregado a outros ingredientes, tornou-se comum nos mais típicos pratos da culinária tipicamente germânica. Mas não está na Alemanha sua origem.

Na verdade, é desconhecida a procedência exata deste alimento. Sabe-se que os romanos tinham receitas à base de repolho cru e que o repolho fatiado e fermentado em vinagre de arroz era servido aos operários que trabalharam na construção da grande muralha da China. Este alimento teria chegado aos povos eslavos, na Europa Ocidental, por intermédio dos mongóis. E foi muito bem recebido, pois além de saboroso, as vitaminas e bactérias lácteas nele contidas se mostraram excelentes aliados do organismo para enfrentar o rigoroso inverno.

O chucrute hoje é consumido em praticamente toda a Europa e aqui no Brasil, onde identifica-se naturalmente com pratos de origem alemã, tem o nome semelhante à designação francesa choucrutte. Mas não é só entre os povos de origem germânica que é consumido. Nos Estados Unidos, por exemplo, o chucrute é tão apreciado, que foi criada uma comunidade que se reúne em torno de uma espécie de clube virtual, no site www.sauerkraut.com. E o chucrute, com a mostarda, é o tempero mais  tradicional do cachorro-quente, o mais típico lanche dos norte-americanos, segundo informações constantes na Wikipédia.

A produção do chucrute efetivamente inicia com uma limpeza final do repolho, que inclui descarte das folhas inadequadas. Depois vem o corte em tiras finas, através de máquinas especiais, após o que é temperado e acondicionado em grandes recipientes. Neles, permanecerá em repouso até que atinja o ponto adequado de fermentação, o que ocorre perto de 30 dias. No período, é acompanhado tecnicamente, observando-se a evolução dos lactobacilos e sua ação, da qual resultará o produto final com suas características físico-químicas. Pronto para consumo, é envasado em pacotes, vidros ou latas, com a utilização de tecnologias adequadas a cada caso.

Na história da Hemmer Alimentos, o sauerkraut, ou chucrute, é o produto mais importante, o marco inicial. Nos primeiro anos do Século XX, o então professor, líder  comunitário e também agricultor Heinrich Hemmer, decidiu elaborar o alimento para com ele abastecer a cidade de Blumenau. Servia a população, então quase que  totalmente formada por alemães e descendentes, e agregava valor ao repolho produzido por ele e pelos vizinhos instalados na região do Badenfurt. Pela qualidade e  sabor seu chucrute logo fez sucesso. Heinrich acrescentou, assim, mais um item no currículo, o de empresário, pois desta iniciativa nasceria a indústria de alimentos em conserva.

A Hemmer cresceu, expandiu sua linha de produtos e continua fazendo um chucrute tão saboroso como aquele com que seu fundador conquistou a comunidade. O  segredo é, na verdade, um conjunto de procedimentos que iniciam com a escolha da matéria-prima.

Os técnicos da Hemmer optaram por duas variedades de repolhos, pelas características de tamanho e qualidade de fibras. São cultivados por agricultores contratados,  a partir de sementes selecionadas. Desta escolha vai resultar um chucrute com textura e maciez agradável à vista e ao paladar. Mas antes de ser processado o repolho  passa por duas seleções, uma ainda na lavoura, outra na chegada à indústria.


Fique por dentro das novidades